03/04/2013 Noticia AnteriorPróxima Noticia

Coorporações financeiras corromperam os EUA, diz autor

Em "O Sequestro da América", Charles Ferguson aprofunda o debate sobre os problemas econômicos enfrentados pelos EUA que resultaram na crise de 2008, a maior desde a Grande Depressão de 1929, e as suas consequências sociais e políticas.

No livro, Ferguson aprofunda o tema de "Trabalho Interno"

No livro, o autor de "Trabalho Interno", vencedor do Oscar de melhor documentário em 2011, investiga o que deu errado na economia norte-americana e relaciona seu início a eventos da década de 1980.

"Nos últimos 30 anos, os Estados Unidos foram tomados por uma oligarquia financeira amoral, e o sonho americano de oportunidade, educação e mobilidade social está hoje, em grande medida, limitado ao pequeno percentual mais abastado da população", conta.

Segundo o autor, republicanos e democratas compactuam com a pilhagem e as fraudes frequentes das corporações financeiras. Se esse processo não for interrompido, os EUA se transformarão em uma sociedade decadente, "com uma população empobrecida, raivosa e ignorante sob o controle de uma pequena elite ultrarrica".

A desigualdade econômica transforma a sociedade em uma massa receptiva a extremismos religiosos e políticos, como cristianismo anticientífico e fundamentalista, ataques à educação e ao ensino de teorias como a da evolução das espécies, além da demonização de imigrantes, muçulmanos e pobres.

"Há hoje evidências esmagadoras de que ao longo dos últimos 30 anos o setor financeiro dos Estados Unidos se tornou um setor sem princípios", diz. "A medida que sua riqueza e seu poder aumentavam, ele subverteu o sistema político do país (incluindo os dois partidos políticos), o governo e instituições acadêmicas de modo a se livrar do controle externo".

Divulgação/Sony Pictures

Documentário premiado sobre o setor financeiro dos Estados Unidos

Movimentos de protestos como o Occupy Wall Street, inicialmente pouco claros em seus objetivos, guardavam a percepção de que algo errado estava acontecendo com a economia do país, argumenta Ferguson na primeira parte do livro.

Ferguson diz não ser contrário a enriquecimento, empresas e lucro. Nas páginas do novo livro, ele transparece certa admiração pelos que enriqueceram por meio do trabalho e do estudo. Para ele, o problema são as pessoas que ficaram ricas por terem boas ligações e serem inescrupulosas.

"Elas estão criando uma sociedade na qual se pode cometer crimes econômicos terrivelmente daninhos com impunidade, e na qual apenas os filhos ricos têm a oportunidade de fazer sucesso."

Formado em matemática na Ucla (Universidade da Califórnia) e doutor em ciência política pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), Charles Ferguson foi consultor do governo norte-americano e de empresas com Apple, IBM e Motorola. "O Sequestro da América" é o seu quarto livro.

"O Sequestro da América"

Autor: Charles Ferguson

Editora: Zahar

Páginas: 370

Quanto: R$ 49,90 (preço promocional*)

Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

"Trabalho Interno"

Diretor: Charles Ferguson

Duração: 109 minutos

Classificação indicativa: 10 anos

Quanto: R$ 19,90 (preço promocional*)

Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da Livraria da Folha

Trabalho interno é um documentário de 2010 acerca da crise financeira global 2007-2012 dirigida por Charles H. Ferguson. O filme é descrito por Ferguson como sendo sobre "a corrupção sistêmica dos Estados Unidos pela indústria de serviços financeiros e as consequências da corrupção sistêmica."

Em cinco partes, o filme explora como as mudanças no ambiente político e as práticas bancárias ajudaram a criar a crise financeira. Trabalho Interno foi então bem recebido pela crítica que louvou seu ritmo, pesquisa e exposição de material complexo.

Foi exibido no Festival de Cannes de 2010 em maio e ganhou o Oscar de melhor documentário de 2011. Contou com entrevistas de George Soros, Barney Frank, Lee Hsien Loong, Christine Lagarde, Eliot Spitzer, Dominique Strauss-Kahn, entre outros.

O documentário está dividido em cinco partes. Ele começa examinando como a Islândia estava altamente desregulada em 2000 e a privatização de seus bancos. Quando o Lehman Brothers foi à bancarrota e o AIG entrou em colapso, a Islândia e o resto do mundo entraram em uma recessão global.

Mais detalhes sobre o filme: http://pt.wikipedia.org/wiki/Trabalho_Interno

Por: Livraria da Folha