18/11/2017

O abismo entre nós

Vera Calvet Vera Calvet
"Exatamente por não termos ainda nos encontrado como indivíduos, como pessoas que conhecem a si mesmas, que amam a si mesmas, pessoas que se respeitam de verdade, não poderíamos reconhecer e respeitar ninguém mais! "

O que está acontecendo com as pessoas?

Temos ouvido e feito essa pergunta.

Nunca fomos tantos habitantes nesse planeta e tão distantes uns dos outros!

O óbvio abismo social entre nós é um fenômeno mundial e parece ser reflexo de muito mais do que da falta de vontade de resolvê-lo e da ganância! Talvez, suas causas remontem à essência da visão que temos uns dos outros. Vemo-nos como pessoas separadas, não só fisicamente pelo espaço, mas totalmente distantes mentais, emocionais e espiritualmente.

As prestadoras de serviço não respeitam o consumidor.

Os governos não respeitam seus cidadãos.

Os cidadãos não respeitam uns aos outros.

A justiça não respeita as leis e Constituição.

As religiões não respeitam umas às outras.

Os membros das famílias não se respeitam entre si e por aí seguimos sem respeitar ou nos sentir respeitados!

Ninguém se compromete mais com nenhuma regra mínima de respeito e convivência!

Como haver relacionamentos dessa forma?

E assim, os relacionamentos seguem sendo desfeitos, feridos e frustrados.

Triste e desolador quadro, sem dúvida. Teria solução?

Sim. Sempre há soluções quando algo nos desafia a mudar. E se isso não é um imenso desafio às mudanças, não consigo ver outros maiores. Estamos virando uma população frustrada, triste, sem esperanças, bélica, raivosa e todos os predicados negativos que há no dicionário!

Onde foi que nos perdemos?

Creio que a pergunta correta seria: QUANDO foi que nos ENCONTRAMOS?

E a resposta seria: Nunca!

Exatamente por não termos ainda nos encontrado como indivíduos, como pessoas que conhecem a si mesmas, que amam a si mesmas, pessoas que se respeitam de verdade, não poderíamos reconhecer e respeitar ninguém mais!

E o que antes eram personagens sociais interpretando papéis de pessoas polidas, também se desfez diante das frustrações.

Então, por pior que este triste quadro social e de cada indivíduo pareça ser, traz para nós o desafio inevitável: Conheça e respeite a si mesmo! Só assim o seu mundo externo refletirá a verdade e o bem!

Enquanto evitarmos essa visão interior, nosso mundo externo continuará a refletir nossos conflitos internos.

O que você prefere? Conhecer, aceitar, respeitar e amar a si mesmo para que seja reconhecido, aceito, amado e respeitado ou prefere fugir desse desafio, continuar a vestir seu falso personagem e presenciar, com dor, o fim de nossa era?

Pois esse será o nosso futuro provável! O fim da era humana na Terra. O animal que não soube conviver com sua própria espécie!

Por: Vera Calvet

Vera Calvet é arquiteta, vice-presidente do Instituto Ráshuah do Brasil - Núcleo de Meditação e Terapias. Psicoterapeuta, escritora, instrutora de meditação e palestrante. Desenvolveu métodos terapêuticos voltados ao autoconhecimento e técnicas de Meditação, ministrados em todas as unidades do Instituto Ráshuah no Brasil e no exterior: http://www.rashuah.com.br

VOLTAR À PÁGINA INICIAL